Notícias
Postado em 19 de Dezembro de 2014 ás 18:16h
Maior colecionador de vinhos do mundo quer abrir um museu na França

O francês Michel Chasseuil, de 67 anos, maior colecionador de vinhos do mundo, compra vinhos em leilões desde seu primeiro salário, aos 20 anos. Primeiro, na própria França, e ao longo dos anos, por toda a Europa.

Em 1970 sua coleção já era de cerca de mil garrafas, número que pulou para os 25 mil atuais - a maior coleção particular do mundo. De tão fanático que é, Chasseuil chegou a gastar 100 mil dólares, que eram de seu bônus de aposentadoria, na compra de vinhos raros.

Amante de vinhos, o francês criou um certo hábito: sempre que vai comprar a bebida, leva logo duas garrafas: uma para seu consumo - que é de cerca de 4 taças por dia - e outra para sua coleção.

O mimo pela coleção é tanto que Chasseuil projetou uma adega supersegura ao lado de sua casa, em La Chapelle-Bâton, oeste da França. O espaço tem três portas de vidro blindado e ainda é protegido por radar. Para tentar minimizar os danos de um possível roubo, as passagens para transporte são estreitas o bastante para possibilitar a passagem de apenas uma caixa de vinhos por vez.

Sua mais nova vontade? Abrir um museu próprio. Isso mesmo! Michel Chasseuil quer colocar sua coleção particular num museu do vinho que ele espera construir na região de Bordeaux, na França.

Entre os "exemplares", estão garrafas de todas as safras século XX do Château D'Yquem, os Château Pétrus desde 1924 e os Romanée- Conti desde 1905. Além destas, ainda há 40 safras distintas do Château Lafleur e as raridades Château D'Yquem 1811, Porto Hunt's 1735 e Champagne Maison de l'Empereur 1811.

Desse jeito, ele não só vai ser o maior colecionador como também terá um dos maiores museus de vinho do mundo. Para o francês, o vinho "é uma paixão que se converteu em religião".

Por: Revista Adega - Redação
Link:
Comentários ()